Histórico da Entidade

AGAP-MG - ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA AO ATLETA PROFISSIONAL DE MINAS GERAIS

Com amparo na Lei 6.269/75, de 24.11.74, regulamentada pelo Decreto 77.774/76 de 08.06.76, foi criada, em 13.12.76, a AGAP/MG – Associação de Garantia ao Atleta Profissional do Estado de Minas Gerais, instituição civil sem fins lucrativos, com objetivo de prestar assistência complementar aos atletas profissionais, em formação e ex-atletas de futebol, visando sua profissionalização alternativa e readaptação ao exercício de outra atividade.

São fundadores da AGAP/MG os ex-atletas profissionais de futebol :- Wilson da Silva Piazza, Vicente de Paula Pereira, Ronaldo Gonçalves Drumond, Heleno de Abreu Oliveira, Marcelo de Oliveira Santos, Dawson Laviola Mattos, Amaury Alves Horta, José Carlos Bernardo, Jorge Sebastião Coelho Goston e Evaldo Cruz.Sua principal finalidade é de natureza sócio-educacional, além da prestação de assistência jurídica nas áreas desportiva, trabalhista e previdenciária, visando equacionar os conflitos por ventura surgidos entre os clubes e seus jogadores, orientando-os no cumprimento de suas obrigações e agindo na defesa de seus interesses.

O Sistema de Assistência Complementar ao Atleta Profissional, instituído pela Lei 9269/75, preservado  na Lei 8.672/93, de 06.07.93 ( Lei Zico), regulamentada pelo Decreto 981/93, atualmente definido na Lei 9.615/98 Lei Pelé), de 24.03.98 e Lei 9.981, de 14.07.2000, é hoje representado pela FAAP- Federação das Associações de Atletas Profissionais.

Com sede em Brasília, a FAAP, presidida pelo tricampeão mundial Wilson Piazza, através de suas entidades filiadas que são as AGAP, desenvolve ações sócio-educativas direcionadas à formação escolar dos associados, especialmente na concessão de bolsas de estudo a nível de 1° e 2° graus, vias regular e supletiva, cursos profissionalizantes, preparatórios, alcançando também o ensino superior.

Uma das grandes preocupações das AGAP está  focalizada na conscientização dos atletas profissionais em relação ao curto tempo da carreira, sem contar os riscos naturais da profissão, a exemplo das contusões graves que podem ocasionar seu encerramento prematuro. Daí a necessidade de uma qualificação alternativa para que, ao encerrarem suas atividades, não fiquem marginalizados e possam, através de uma nova profissão, dar continuidade aos seus projetos pessoais de crescimento e ter garantida, consequentemente, uma sobrevivência mais tranqüila e digna. 

A grande dificuldade é que os atletas, em especial os profissionais vinculados a grandes equipes, até hoje, ainda não assimilaram como deveriam, o campo de atuação das AGAP, seus projetos, ações e a importância de se filiarem, não somente visando o fortalecimento do Sistema, como também, usufruírem das informações, esclarecimentos e benefícios sociais, especialmente aqueles voltados à sua qualificação e readaptação profissional.

A AGAP/MG desenvolve ainda, projetos de socialização direcionados a crianças e adolescentes, especialmente carentes, em parceria com órgãos públicos, a exemplo do Programa Esporte Esperança, através de convênio de mútua cooperação firmado com a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte/Secretaria Municipal Adjunta de Esportes.                                                              

Este Programa beneficia mais de 5.000 jovens dos bairros periféricos, aliando –se a prática esportiva à escolarização, sem o critério da seletividade, pois o objetivo maior é formar cidadãos, evitando a marginalização e resgatando valores humanos e sociais, além de princípios éticos e morais.